Empatia: Campanhas, ONGs e profissionais em combate contra o coronavírus

Por Communicare

A sociedade está se unindo para lutar e superar todas as dificuldades

Gabriela Costa

A pandemia do coronavírus espalhou temor entre os brasileiros. Mudou hábitos, afastou pessoas e enlutou famílias. E, por isso mesmo, também estimulou o surgimento de uma rede de solidariedade em Uberlândia.

A Associação Vida e Esperança, uma ONG localizada no bairro Santa Mônica em Uberlândia, auxilia famílias com itens básicos de alimentação.

Uma vez por mês, em média 60 famílias recebiam as cestas básicas ganhas pela instituição, porém, no último mês a procura subiu em torno de 100% e eles atenderam 120 famílias.

Com todos os cuidados necessários, com máscaras, luvas e o número reduzido de trabalhadores voluntários, um domingo do mês é dedicado a esse trabalho. 

A Presidente da ONG, Mônica Ribeiro, conta que o número de doações de alimentos não perecíveis para a criação das cestas aumentou em 20%, além da procura de doações depois da entrega das cestas.

De acordo com ela, existe dias que há inúmeras doações na ONG que eles não sabem nem de onde vieram. “Algumas semanas atrás, recebemos uma ajuda de Todos Juntos por Uberlândia, junto com o Exército”, acrescenta.

Outro trabalho que influencia diretamente na ajuda e luta contra o novo coronavírus são os influenciadores e criadores de conteúdo na internet. Essas pessoas possuem vários seguidores em suas redes sociais, como Vívian de Sá, responsável pelo Instagram Cotidiano em Análise (@cotidianoemanalise).

Suas postagens são construídas com informações importantíssimas. “Tanto relacionadas à saúde física e medidas de prevenção, quanto à saúde emocional”, comenta ela.

A contribuição dos profissionais da saúde como a Vivian, vão além de necessidades materiais, mas também necessidades pessoais. Principalmente dicas importantes sobre como manter a saúde mental.

“Em primeiro lugar, busque ter uma rotina, priorize seu sono. Regule o horário de deitar, busque formas de relaxamento como meditação e exercícios de respiração, e se tiver com alterações grandes no sono procure ajuda profissional”.

A profissional incentiva ainda a fazer exercícios físicos em casa e ter uma boa alimentação. “Respeite suas horas de lazer e seja compreensível com você mesmo caso não esteja conseguindo ser tão produtivo quanto antes da pandemia. Mantenha contato virtual com quem você ama, o afeto é fundamental para nos ajudar a passar por momentos difíceis”, incentiva Vívian de Sá para esse período de quarentena.

É notável que a toda a sociedade está se concentrando em apoiar uns aos outros nesse momento, porém, é de extrema importância se manter calmo.

“Na pandemia, percebo que uma parcela da população conseguiu fazer dois movimentos muito importantes: voltar mais o olhar para si, na tentativa de lidar melhor com suas emoções que afloraram tanto nesse período; e se voltar para fora também, se conscientizando sobre como ações individuais podem afetar o coletivo”. 

Assim, a empatia é o fator principal para essa mudanças de modos e proximidade, mesmo longe os usuários encontraram maneiras de estar presente e tentar ajudar de todas as maneiras possíveis.